Slide background

Receba em primeira mão informações sobre eventos, feiras, cursos, palestras e muito mais!

Já vai embora?

CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR

Joias x Marketplaces: Ajorio lança proposta inovadora a seus associados

O que era uma projeção para o futuro, acabou se tornando uma necessidade do dia para noite. O comércio eletrônico se tornou não só uma ampliação dos canais tradicionais de vendas, mas uma ferramenta indispensável para o varejo em geral. Quando levamos essa realidade para o mercado de joias, o e-commerce é um desafio ainda maior e pouco explorado, até agora.

“A joia é uma compra muito emocional. O processo de compra é diferente, ainda há muita dificuldade em levar a emoção da compra do atendimento presencial para o virtual. No entanto, vemos cada vez mais empresas buscarem maneiras de superar essa barreira” – conta a consultora Roberta Limmer, à frente do mais novo projeto da AJORIO: um amplo trabalho de inserção das joias no mundo dos marketplaces.

Roberta é profissional do varejo há mais de 25 anos e trabalhou para grandes marcas como Levi’s, Redley e Natan Joias. Hoje ela comanda projetos próprios voltados ao público ‘premium’ e há quase uma década vem se especializando em e-commerce e mídias sociais.

Roberta iniciou sua jornada conosco através de um amplo estudo sobre a presença das joias em marketplaces. Segundo a presidente da AJORIO, Carla Pinheiro, “há uma iniciativa de inclusão de joias em algumas plataformas, mas em todas as que consultamos o trabalho não é tão sólido ou o formato não atende as necessidades do setor” – relata.

E porque um marketplace? A consultora responde: “o marketplace é uma grande vitrine capaz de alavancar sua marca e suas vendas. Em geral, esses shoppings virtuais possuem uma base grande de clientes, um grande fluxo de visitas em seus sites, um trabalho de marketing com planejamento e execução já consolidados. Já para o cliente, a empresa se apresenta idônea, com uma logística que funciona. Por isso, acredito que este formato seja o ideal para nosso projeto, pela credibilidade tanto por parte do cliente quanto do vendedor e, é claro, pela visibilidade".

Foi então que começou a busca por plataformas de moda, categoria mais próxima ao universo joalheiro. “Estar num marketplace muito diverso como Americanas, Mercado Livre, Submarino, com outras categorias de produtos muito distantes do nosso, faria com que as joias se perdessem em meio a tantas ofertas” – explica a consultora.

Dentre as plataformas de moda, com trabalho sério, confiável, atendendo às expectativas do projeto elaborado pela Ajorio, surge a Zatinni. Roberta conta como foi o contato inicial: “houve uma abertura muito favorável de negociação por parte deles. O grupo já tinha essa vontade de explorar o segmento. Então, aconteceu uma sinergia boa. Até existem algumas marcas que vendem joias na plataforma, mas não é uma categoria específica”.

A empresa está dentro de um grupo forte: ela foi comprada primeiramente pela Netshoes e, posteriormente, as ações foram absorvidas pela Magalu, da Magazine Luiza. O grupo possui uma atuação importante no varejo e uma presença consolidada no ambiente online, fator que pesou bastante na hora da decisão. Os requisitos de cadastramento e o processo de integração são muito simples, a oferta se tornou atrativa não só para as grandes, mas também para as microempresas, abrangendo toda a base atendida pela Ajorio, um dos objetivos do projeto.

Avançadas as negociações, estava na hora de apresentar a proposta aos associados da AJORIO. A receptividade foi muito boa! “Fechamos rapidamente um grupo de empresas de perfis diferentes e por isso pudemos garantir também uma redução no percentual de comissionamento” – conta Roberta.

Uma das pioneiras quando o assunto é e-commerce, a Creative Brazil – associada da Ajorio e uma das empresas participantes do projeto – fundou sua própria plataforma em 2003, voltada ao público estrangeiro. “Eu resolvi entrar no marketplace da Zatinni porque eu confio na Ajorio, na pesquisa que fizeram. Acredito muito na força do e-commerce não só por causa da pandemia, mas por ser uma iniciativa sem possibilidade de volta. As pessoas vão comprar cada vez mais pela internet” – comenta Ana Clark, empresária da marca.

O projeto está em fase de implantação e alguns contratos já foram assinados. Contudo, o trabalho continua: estamos buscando novas parcerias que ajudem os empresários para facilitar a inclusão da joalheria nesse universo digital. O projeto é exclusivo para associados e faz parte do compromisso do Sistema AJORIO que, há mais de 50 anos, atua de forma dinâmica e pioneira na busca de soluções focadas não só na superação dos obstáculos enfrentados pela cadeia de joias, gemas, bijuterias, relógios e afins, mas no aumento da produtividade, qualidade e competitividade das empresas do setor.

Assine nossa News

Informe seu melhor email para receber as últimas notícias do setor de joias e bijuterias.
Você é empresário do setor de joias e bijuterias?

Instagram Feed

 

Assine nossa News

Informe seu melhor email para receber as últimas notícias do setor de joias e bijuterias.

Você é empresário do setor de joias e bijuterias?