Slide background

Receba em primeira mão informações sobre eventos, feiras, cursos, palestras e muito mais!

Já vai embora?

CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR

Igara Moda Arte reinaugura loja no Largo do Machado em fevereiro

Os nomes mais expressivos do design de biojoias se encontram no coração do Largo do Machado, na Igara Moda Arte, associada da Ajorio desde 2013. Localizada na tradicional galeria Condor, a marca comercializa peças de mais de vinte artesãos e designers de várias regiões brasileiras. Entre os cariocas, estão marcas como Ecojoias Carol Barreto, Zóia, Sophos Rio, Monica Krexa e Key Ferreira, criadores que têm em comum o uso de materiais alternativos e a preocupação com a sustentabilidade na confecção dos acessórios.

ZoiaPeças da Zóia

De inspiração amazonense, a Igara, que significa “pequena canoa feita geralmente de um único tronco de árvore escavada”, promove a moda ecológica e criativa, e busca investir no talento artesanal brasileiro.  Com esta proposta, a empresa ganhou, em 2017, o Prêmio Nacional de Inovação CNI/Sebrae, na categoria Marketing para Pequenas e Médias Empresas, o que motivou os sócios, Hélio Moreno e Ely Bastos de Lima, a se engajarem ainda mais no projeto da loja conceito, focada em moda sustentável e privilegiando artesãos e designers brasileiros. “A escolha do nome Igara representa a solidez, sentimento que move nossos objetivos como marca sustentável”, contou Hélio. 

sophos 2Sophos Rio

A história da Igara começou com a experiência bem-sucedida de comercializar acessórios eco-friendly na loja Algo Diferente Bazar e Presentes, propriedade de um dos sócios da Igara. Com a boa aceitação dos produtos, eles acreditaram que era possível construir uma marca sustentável especializada em acessórios e decoração. No fim de 2014, a Igara Moda Arte foi inaugurada, e dois anos depois, passou a ocupar duas lojas na galeria Condor, uma focada em ecoacessórios e, a outra, em ecodecoração. 

Carol BarretoColar Ecojoias Carol Barreto

Ely foi a responsável por trazer um pedacinho da Amazônia para o Rio de Janeiro, buscando, em suas origens, as peças que iriam compor as coleções da Igara. “A curadoria da marca é inspirada na minha vivência amazônica. Sou uma cabocla amazonense vivendo na cidade. É essa mistura que aguça minha curiosidade na direção do que é mais orgânico, saudável e espontâneo”, diz. Segundo Ely, a  proposta da curadoria é valorizar tanto artesãos, como designers que criam com materiais naturais de forma responsável, que utilizam resíduos urbanos reciclados,  ou que, muitas vezes, unem os dois em uma espécie de relação de cura.

O espaço reservado à arte indígena brasileira recebeu, no ano passado, a visita do xamã Davi Kopenawa, grande voz dos índios Yanomami e uma das maiores lideranças indígena do Brasil. Peças do povo Yanomami fazem parte do acervo da Igara, como os delicados trançados de cipó titica em cestarias.  

Monica KrexaColares de Monica Krexa

E a Igara começou o ano com o pé direito. Neste mês, a loja está em recesso para finalizar os detalhes da mudança para a sobreloja da galeria, onde será instalada em um espaço mais amplo, aconchegante e confortável. A reinauguração, marcada para fevereiro, promete trazer novidades de marcas premiadas de acessórios, como a Sophos Rio e Zóia. Fiquem de olho que vamos contar tudo por aqui.

Assine nossa News

Informe seu melhor email para receber as últimas notícias do setor de joias e bijuterias.
Você é empresário do setor de joias e bijuterias?

Instagram Feed

POSTS RECENTES

 

Assine nossa News

Informe seu melhor email para receber as últimas notícias do setor de joias e bijuterias.

Você é empresário do setor de joias e bijuterias?