barra

APL Joia Carioca

JOIA CACARIOCA - SEBRAE - AJORIO 1

O Arranjo Produtivo Local de Joias e Bijuterias - APL Joia Carioca é uma iniciativa conjunta do SEBRAE/RJ e da AJORIO em parceria com outras instituições relevantes para o setor de joias e bijuterias no Estado: Sindijoias/RJ, SNCAPP, IBGM, Sistema FIRJAN, Governo do Estado (pela SEDEIS), Fecomércio, SENAC Rio e PUC-Rio. O Joia Carioca foi lançado em dezembro de 2004 e opera desde 2005. 

Por que um APL de Joias e Bijuterias?

Vários fatores importantes contribuíram para a criação do APL Joia Carioca. O Rio de Janeiro, além de ter sido o berço da indústria joalheira do Brasil, é responsável, atualmente, por aproximadamente 50% do total de exportações de joias e afins no país. As peças criadas aqui são referência em design e qualidade, e retratam o lifestyle carioca que conquistou o Mundo. Além dessas, existem outras características que tornaram o Estado extremamente relevante para a indústria como:

• Segundo maior mercado consumidor de joias e afins;

• Grandes empresas de classe mundial com base no Rio;

• Expressivo número de micro e pequenas empresas (MPEs) do setor;

• Capacidade de produção já instalada;

• Estrutura bem definida de liderança e coordenação setoriais;

• Presença de importantes instituições envolvidas com o setor joalheiro – universidades, escolas técnicas, centros de pesquisa e incubadoras de design. Assim oferecendo ambiente propício à estruturação do APL com base factual naturalmente gerada, configurando uma verdadeira “vocação” regional;

Objetivo

O objetivo do APL Joia Carioca é ampliar e fortalecer as empresas participantes junto aos seus mercados, por meio da excelência de gestão e do desenvolvimento de produtos com design e valor agregado, visando a que se tornem referências no Brasil e no exterior.

Público-alvo

O público-alvo é bem definido: são os microempreendedores individuais e as MPMEs que produzem e vendem joias, bijuterias e produtos afins no Estado do Rio.

Eixos Estratégicos

Em busca de eficiência máxima, o APL Joia Carioca estruturou suas atividades em torno de sete eixos estratégicos, que são visitados a seguir.

O primeiro deles é o mais básico e por isso essencial: a capacitação das empresas do setor. Com esse objetivo, uma gama variada de ações foi levada a cabo ao longo dos anos, algumas com caráter de “campanha” de duração limitada, outras de forma permanente. O segundo eixo é o acesso às tecnologias necessárias ao setor em seus vários segmentos, representado pela oferta de infraestrutura de apoio. Outro relevante componente da estratégia de atuação do APL Joia Carioca é representado pela consolidação do design de todo o composto mercadológico do produto – em especial, mas não unicamente, joias, bijuterias, relógios e suas embalagens. O APL elevou essa atividade ao patamar de processo criativo, iniciado pela investigação estratégica de tendências de consumo e sua comunicação, através de eventos programados e publicações especializadas. A atividade comercial, obviamente, é fundamental a qualquer setor econômico e a ela se voltam muitas ações que podem ser agrupadas sob a denominação geral de acesso aos mercados interno e externo. Executadas ora em caráter oportunístico, com aproveitamento de um evento a que se ligam, ora em modalidade que se repete a intervalos regulares de tempo, tais ações são sempre cotejadas e decididas contra o pano de fundo da estratégia geral do APL. Em alguns desses eventos, a atividade comercial é ostensiva; em outros, reveste-se discretamente de roupagem de promoção institucional.

Ações de marketing setorial compõem o quinto eixo estratégico por onde evolui o APL. São ações empreendidas e ferramentas utilizadas em suporte, em última instância, à função comercial dos participantes. Aqui se compreendem atividades de assessoria de comunicação empresarial (desde 2008); o site hospedado no portal do Sistema AJORIO na web; e-mail marketing; informativos impressos e em meio eletrônico; presença nas redes sociais. O fomento à intersetorialidade, sexto eixo estratégico, é representado pelo incentivo à participação em iniciativas de característica multissetorial.

Finalmente, o gerenciamento estratégico e operacional do projeto constitui, ele próprio, um sétimo e último eixo tão relevante como os demais, pelo alcance de certas medidas aí contempladas. Citam-se, principalmente: o monitoramento do ambiente de negócios para o setor, no Brasil e no exterior, combinado com a “inteligência competitiva” que transforma dados em informações e leva ao estágio do conhecimento; a disseminação de informações relevantes ao setor; o sistema gerencial integrado, que permite respostas rápidas e capacita os gestores à melhor tomada de decisões; os planos anuais de trabalho; o acompanhamento semanal das ações; a operacionalização das ações planejadas; o controle financeiro e a prestação de contas às fontes financiadoras; etc.

Histórico de Convênios

O APL Joia Carioca foi lançado em dezembro de 2004 e opera desde 2005. Criado por um convênio entre o SEBRAE e a AJORIO, é mantido pela sucessiva renovação do mesmo, ou pela celebração de novos, por vezes com ampliação de escopo. Uma primeira renovação ocorreu em 2007. Dois anos mais tarde, a versão de 2009 incorporou o segmento das bijuterias. Desde então, novos instrumentos foram assinados anualmente, sendo que o convênio de número 0034/13 , de 2013, estendeu a 31 de dezembro do mesmo ano e, posteriormente, a fevereiro de 2014 as disposições que regulam o Joia Carioca. Atualmente, vigora o convênio de número 0047/2017, de maio de 2017 a maio de 2018, com 108 empresas participando do projeto. Espera-se que os resultados futuros do APL encorajem a celebração de novos acordos que permitam a continuidade das ações.

Conquistas

A eficácia do modelo adotado pelo APL Joia Carioca é comprovada por conquistas concretas em favor de seus participantes. Dessas, as principais são as seguintes:

  • Alterações positivas no perfil das empresas participantes do APL, evidenciadas por fatores tais como:
  1. Incremento do faturamento anual médio das empresas;
  2. Crescimento do número de empresas que empregam técnicas modernas de gestão;
  3. Crescimento do porte médio das empresas, medido por número de empregados.
  • Representação político-institucional do setor fortalecida em âmbitos estadual e nacional: dirigentes de entidades de classe e executivos ligados ao APL têm assento em importantes órgãos de entidades públicas e privadas.
  • Governança setorial bem estabelecida. As partes signatárias dos convênios que dão vida e substância ao APL Joia Carioca são legítimos representantes das partes empresariais interessadas. De um lado, o SEBRAE RJ é o parceiro por excelência dos pequenos negócios no estado. Lembre-se o fato de que nessa categoria se enquadram 90% das empresas do setor joalheiro. De outro lado, o Sistema AJORIO - constituído pela Associação e quatro sindicatos patronais - é referência para os profissionais e as empresas do setor, no Rio de Janeiro. Os demais parceiros dão o devido arremate ao modelo de governança que prima pela transparência, equidade e participação de todos em busca do objetivo comum. São eles: o Governo do Estado, representado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços – SEDEIS; a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro – Fecomércio; a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – FIRJAN; o IBGM e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio.


Clique aqui para ler notícias sobre o APL Joia Carioca.

Sistema AJORIO

sistem ajorio

Principais Parceiros

parceiros2013

SEBRAE RJ FECOMÉRCIO RJ FIRJAN IBGM SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INT PUC RIO